Durante a passagem por Singapura o último mês, AURORA cedeu uma entrevista ao site BandWagon, falando para Cecília Ong sobre inspirações, novos trabalhos, e mais! Confira a tradução:

“É sobre acreditar em todas as pessoas pequenas que são na verdade muito grandes: Uma entrevista com AURORA

AURORA é um símbolo de resistência e ternura

Incorporando uma resplandecência que ferve do interior, AURORA coloca-se em contraste ao panorama pessimista de hoje com um otimismo incessante e música que transcende o ego e serve corajosamente como uma carta aberta ao mundo. Com sua distinta mistura de folk, eletrônico e pop, assim como suas contundentes mensagens políticas, ela resiste contra o estado atual das coisas com um foco ardente em seu último álbum A Different Kind of Human – Step 2, precisamente porque ela deseja e acredita em um futuro melhor.

Antes do festival Neon Lights, no qual AURORA está escalada para tocar, ela fala conosco sobre sua visão para a humanidade e o lugar que isso tem em sua expressão.

Entrevistador: Você voltará para Singapura em breve para o festival Neon Lights. Como está se sentindo?

AURORA: Estou tão animada! Amei estar em Singapura. É tão bonito. A plateia lá foi tão boa e eu realmente aproveitei. Estou tão animada para voltar!

Entrevistador: Parabéns no seu último álbum A Different Kind of Human – Step 2! É uma sequência à Infections of a Different Kind – Step 1, então por que um título diferente e por que esse em particular?

AURORA: Eu queria fazer um álbum que colocasse as pessoas através de um processo emocional. Mas eu percebi que há dois passos nesse processo emocional, então quis fazer dois álbuns onde cada parte representasse esse exato processo emocional. Step 1 é mais sobre coisas internas; é sobre aprender a se levantar por si mesmo, aprender a ser um guerreiro por si mesmo e a se fazer feliz e saudável. Step 2 é bem maior; é sobre se levantar pelo mundo inteiro, pela natureza, mulheres, crianças e homens. É sobre ser um guerreiro. São essas duas partes importantes do mesmo tipo de processo empoderador.

Entrevistador: Você pode compartilhar um pouco mais sobre o estado mental que estava quando escreveu o álbum?

AURORA:  Escrevi o Step 1 nesse grande castelo na França e era muito bonito. Tinha grandes campos e a natureza era incrível, então você só deixa sua imaginação e sonhos correrem sobre as colinas toda manhã. Para o Step 2, eu senti que precisava realmente mergulhar em mim mesma e queria me sentir bem mais solitária e pé no chão. Eu fiz o Step 2 em uma sala bem pequena – uma sala pequena bem escura com paredes azuis e piso roxo. Era realmente minúscula e eu pensei que era a coisa certa a fazer – fazer esse álbum em um espaço pequeno, porque então eu estaria sozinha com meus próprios pensamentos. Eu queria ter certeza que estava buscando em mim minhas opiniões sobre o mundo. É um álbum mais político, então senti que precisava estar trancada em um quarto para realmente descobrir o que eu achava sobre o mundo, natureza, igualdade, e todas essas coisas. Foi um processo bem diferente.

Entrevistador: Em Apple Tree e The Seed tem uma raiva direcionada para a terra morrendo, mas a primeira é mais otimista. Você pode compartilhar um pouco mais sobre essas duas músicas relacionadas?

Resultado de imagem para aurora apple tree

AURORA: Eu sou extremamente investida na Mãe Terra. Eu amo a natureza, como sabe. Em todas as minhas músicas e vídeos tem tanta natureza. Sinto que a natureza é tão importante para nós e é isso que eu amo sobre Singapura também! Vocês tem tanta natureza bela; vocês plantam árvores nos prédios e tem esses belos parques.

É tão importante cuidar da Terra. É o único lugar para nós onde podemos só existir, onde temos beleza livre e onde podemos ser calmos – na natureza, podemos apenas ser. O mundo é tão exigente das pessoas; coloca muita pressão nas pessoas para serem perfeitas ou alcançar grandes coisas. Mas a natureza só o deixa existir. Eu acho que essa é uma emoção importante para experimentar e é por isso que sou muito apaixonada sobre salvar a Mãe Terra para as futuras crianças.

Tem sido tão divertido cantar The Seed e Apple Tree ao vivo. Eu posso sentir toda a plateia sentindo comigo; todos queremos salvar a Terra e todos queremos lutar por algo maior do que nós mesmos. Acho que é natural que as pessoas lutem por algo maior do que nós e é tão bonito ver isso acontecendo. Especialmente pessoas jovens, que estão gritando alto o suficiente por mudança. Eu acho que estamos perto de uma grande revolução.

Apple Tree é muito sobre o individual. Eu acredito tanto no poder de cada pequeno ser humano. Eu acho as pessoas podem fazer coisas muito grandes, especialmente se ficarmos juntos. Todas as pessoas por aí têm tanto potencial para mudar as coisas, e essa é toda a ideia por trás de Apple Tree – acreditar que as pessoas podem fazer uma mudança e que você pode fazer uma mudança. É sobre acreditar em todas as pessoas pequenininhas que são na verdade muito grandes. Podemos fazer grandes coisas.

Entrevistador:  Você disse uma vez que a faixa título é algo especial e próximo a você.

AURORA: É tão especial para mim. Eu penso bastante sobre a morte. Não tenho medo e não fico triste. É só tão interessante como ela nos cerca o tempo todo, mas nós ainda ousamos nos importar uns com os outros e nos apaixonar, mesmo sabendo que nada é para sempre – é uma coisa tão linda. É uma promessa que a vida nos dá; nós sabemos que isso vai acontecer um dia, mas aprendemos a viver com isso. Todos os dias, porque nós vivemos todos os dias, nós só morremos uma vez.

Eu realmente queria fazer uma música para ajudar as pessoas a lidar com a morte e a lidar com a perda de pessoas que amam. É por isso que escrevi essa música. Eu acho que foi a minha mãe, que me disse quando eu era mais nova, que são sempre as boas pessoas que morrem e que as melhores pessoas eram muito boas para o mundo. As pessoas cometem suicídio, o que é uma coisa triste e horrível, mas acontece todos os dias. É quase se o mundo fosse cruel demais para eles e eles bons demais para esse mundo.

É por isso que escrevi essa música, A Different Kind of Human, que é sobre essas criaturas que vem para a Terra para levar um humano que está morrendo. E eles dizem “não tenha medo, vamos cuidar de você. Você estará a salvo e o levaremos para essa nova casa onde estará com pessoas tão gentis como você. Você será mais feliz nesse lugar seguro”. Eu esperava que pudesse ajudar as pessoas que perderam alguém e transmitir que eles estão em um lugar seguro.

Entrevistador: Sua música se aprofunda em diferentes aspectos da humanidade e toca bastante no estado do mundo atualmente. Pessoalmente, você é mais esperançosa ou pessimista sobre o estado do nosso mundo hoje, e você alguma vez se sente apreensiva em revelar suas visões na sua música?

AURORA: Eu sou bastante esperançosa. Sou sempre esperançosa, porque enquanto houver novas crianças haverá pessoas que podem aprender com os erros dos seus pais e sempre terá pessoas que tentarão tornar as coisas boas novamente. Enquanto houver uma árvore, poderemos ajudar essa árvore a se tornar uma floresta inteira se apenas plantarmos as sementes. Podemos reverter bastante, mas temos que fazer algo agora.

Sinto que as coisas estão começando a acontecer agora. Não ouvimos sobre as coisas boas que acontecem todos os dias. Todos os dias muitas grandes mudanças e muitas pequenas mudanças que têm grandes efeitos são feitas. Todos os dias as pessoas fazem coisas para ajudar. Sou muito esperançosa porque sem esperança não teria necessidade de tentar. É por isso que as pessoas precisam ter esperança e acreditar que valerá a pena tentar.

Sempre serei uma grande oradora das emoções humanas. Sinto que música pode ser a educação emocional para as pessoas. Não temos nenhum outro lugar que nos ensine a lidar com emoções e como entendê-las. As pessoas nem sempre gostam de falar sobre emoções. Mas eu sempre escreverei música que espero que possam ser melhores amigos para pessoas e possam ajudá-las a se educarem em suas próprias emoções.

Eu realmente gosto de falar as minhas opiniões sobre coisas que acho importantes e coisas que eu me importo nas minhas músicas. Posso sentir que meus fãs se importam com isso também. Eu não seria capaz de fazer qualquer mudança sem meus fãs. É somente por causa deles que eu posso fazer algum bem com meu pequeno tempo nessa Terra. Juntos somos tão poderosos; somos uma grande onda juntos. Eu definitivamente vou continuar a falar das minhas opiniões e perspectivas nas músicas enquanto estou aqui.

Entrevistador:  Você já está trabalhando em um novo álbum. Pode compartilhar um pouco mais?

AURORA:  Eu estou na verdade trabalhando em dois álbuns e não sei qual álbum lançarei primeiro. Um deles demanda várias viagens e tempo. A música A Different Kind of Human é na verdade uma pista para um desses álbuns e para a direção em que estou indo. O outro álbum será completamente diferente e será bem divertido. O próximo álbum que vou lançar ainda será bem político e emocional, mas estou meio inspirada de uma forma diferente agora. Será ainda mais emocional que os outros, e ainda mais poderoso. Também é mais calmo. Tentarei incorporar bastante natureza e capturar a beleza da vida.

É realmente excitante e será, eu acho, o melhor álbum.”

O que achou da entrevista? Animade para ouvir as próximas músicas de AURORA? Compartilha sua opinião com a gente lá nas redes sociais: Twitter | Instagram | Facebook