Sua fonte OFICIAL sobre a cantora AURORA no Brasil.
“É político, é emocional, é sobre mudança e preservação.” AURORA sobre o novo álbum Postado por: Milena Carvalho às 02:48

Recentemente a nossa cantora preferida deu uma entrevista para a Interview Magazine. Durante a conversa com a Sarah Osei, AURORA fala um pouco sobre o álbum novo “A Different Kind of Human” que sai dia 07 de junho.

A música da AURORA é talvez melhor descrita como uma carta de amor para a Terra. Desarmadamente honesta, é imaginado um futuro onde todos nós estamos conectados.


Empática e sensível, mas poderosa, AURORA é uma espécie diferente de humano, e definitivamente uma espécie diferente de musicista. Com seus vocais assombrosos e verdadeiros, em camadas sobre os instrumentos espectrais, seu catálogo de músicas confiantemente fez hits de músicas que não são convencionalmente comerciais. Do seu EP de estréia ‘Running With The Wolves’, para os álbuns ‘ All My Demons Greeting Me As A Friend’ e ‘Infections Of A Different Kind (Step 1)’, AURORA se estabeleceu como talentosa e sábia além dos seus anos. Agora ela está se preparando para lançar seu quarto álbum, ‘A Different Kind of Human (Step 2)’, e plantar uma semente de esperança.

Quando você começou a fazer música?

Eu comecei a fazer música quando tinha 6 anos de idade, e começou a se transformar em músicas reais quando eu tinha 9 anos. Foi uma coisa natural para mim. Eu me divertia muito quando escrevia música.

Como você passou de morar em Os, uma pequena cidade na Noruega, para ser uma das maiores exportações musicais da Noruega?

Eu não faço ideia. Nunca foi um sonho de infância, então eu realmente não me lembro tão bem como tudo veio a acontecer! Eu sinto que acabou de acontecer, e eu acabei de aceitar. Agora eu gosto disso, porque minhas palavras têm poder e eu gosto disso.

Existe um cheiro particular que te faz lembrar de casa?

Eu amo o cheiro de asfalto molhado e grama molhada. Canela e lavanda também me lembram muito da minha mãe e das minhas irmãs.

Você se mudou recentemente de sua cidade natal para a cidade, é mais difícil ser criativo na cidade?

Eu acho fácil ser criativo em qualquer lugar! Não está realmente ligado a lugares comigo, está mais ligado a um lugar que está dentro de mim onde quer que eu esteja.

Sua música sempre carrega uma mensagem social incrivelmente poderosa. Por que é importante para você criar músicas que sirvam a um propósito maior?

Eu sinto que esta vida é uma coisa tão estranha, todas as coisas são apenas temporárias. E no longo tempo em que nós existimos, parece bom que durante o segundo que eu estive na Terra eu fiz algo que significou algo. Isso faz com que eu me sinta segura, quase como se nunca pudesse morrer de verdade, porque a música com propósito grava em nós de uma maneira diferente da maioria das músicas. Isso fica.

Você pensa no ouvinte quando faz música?

Eu penso nas pessoas às vezes quando faço música. Como ‘O que o mundo precisa na música?’, ‘Que tristeza eu poderia consolar?’ Mas agora eu estou em um estado de ser, onde eu escrevo muito sobre o que me irrita, e o que me agrada, o que ninguém responde, e quais problemas estão na frente de nossos narizes, mas a maioria de nós realmente não vê. Então é uma maneira emocional muito boa de falar com o mundo, então todos nós podemos unir forças e arrebentar.

O que você pode nos dizer sobre o seu álbum A Different Kind of Human?

É muito grande, em significado e em sua missão. Eu tenho grandes esperanças para o que ele poderia fazer para pelo menos um ouvinte neste planeta. Eu quero inspirar e intrigar. Há muita coisa escondida nele, e estou animada para as pessoas mergulharem nele e absorverem tudo.

Portanto, este álbum é uma continuação do ‘Infections of a Different Kind’ do ano passado. Você pode nos contar sobre a progressão daquele álbum para este?

Tanto o Step I como o Step II fazem parte de um longo processo, são duas partes diferentes de um processo pelo qual quero que as pessoas passem enquanto o ouvem. Nenhum deles é o começo ou o fim, apenas dois passos muito importantes de todo o processo. Tudo fica um pouco maior, ao invés de você e eu, somos todos nós. É político, é emocional, é sobre mudança e preservação. É sobre tudo, e também nada. É difícil explicar assim, com escrita preta em papel branco, mas todos vocês encontrarão o seu próprio significado nele, e de modo algum o seu significado poderá estar errado.

Existe uma faixa no álbum que seja particularmente próxima de você?

A faixa 8 ao longo da minha carreira é sempre a faixa mais importante.

Sua música “The Seed” é dedicada ao nosso planeta e fala sobre a mudança climática. Muitos de nós realmente querem que as coisas mudem, ao mesmo tempo em que continuamos poluindo a Terra que amamos. Como devemos abordar essa hipocrisia?

Acho que é hora de deixar esses pequenos luxos de lado, e encontrar alguns aspectos interessantes da vida que realmente fazem alguma coisa para ajudar. Há tanta coisa que você poderia fazer para ajudar, porque dentro de todos nós há muito poder. Eu recomendaria que todos assistissem “Nosso Planeta” (no Netflix), é uma maneira muito gentil de mostrar a beleza que este mundo nos oferece, e nos diz para fazer o que é certo, não de forma negativa ou acusadora. E essa é a maneira de inspirar as pessoas, eu acho.

É importante ter esperança o tempo todo?

Eu acho que é. A esperança é como uma chama, que mesmo quando não está lá, sempre há uma maneira de fazê-la aparecer novamente. É selvagem e incontrolável, e pode se mover pelo mundo inteiro com a velocidade da luz, se tivermos a fonte certa de inspiração. A esperança é contagiosa, e acho que é hora de nos deixarmos infectar.

 

A entrevista original e não traduzida pode ser conferida aqui

Vale lembrar que AURORA tem shows marcados no Brasil para MAIO, ou seja, no próximo mês! E claro, você não vai ficar de fora, né? A cantora passará por Belo Horizonte (16), Rio de Janeiro (17), São Paulo (18), Curitiba (22), e Porto Alegre (23).  Saiba mais clicando AQUI. Mal podemos esperar para cantar com toda a alma do mundo junto com a AURORA em terras brasileiras!

Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook!

“Infections Of A Different Kind”: AURORA lança seu segundo álbum! Ouça agora! Postado por: Juliano Martins às 17:32

Vida! É essa a palavra que podemos escrever ao escutar as novas músicas de AURORA. Com a alma transpirando arte e pulsando por música, ela nos mostra o potencial que uma menina nascida em uma pequena cidade da Noruega tem a oferecer para o cenário musical mundial. É importante ressaltar que esse texto deve ser lido ouvindo essa música.

“Infections Of a Different Kind” é o nome que batiza o segundo disco da cantora, que contém oito canções, e que nomeia também uma das mais importantes faixas do disco: a número 8.

“Eu também gosto muito do 8, porque se você olhar ele no espelho também é o mesmo, não importa de que jeito. É tão satisfatório. É também por isso que a música especial é a faixa 8.” disse AURORA em entrevista ao blog musical Live in Limbo Toronto.

Esse álbum nos soa como um estudo sobre o que significa ser humano, explorando todas as maiores e mais cruéis implicações que isso possa causar. Em suas próprias palavras, o álbum é uma meditação sobre a maneira como ferimos e amamos e a maneira como somos tão bonitos, mas também tão terríveis.

Sem data estipulada, o disco foi lançado nas redes sociais ontem (28) por meio das plataformas digitais. O primeiro continente que teve o prazer de ouvir o novo trabalho da cantora foi a Oceania, mais precisamente Nova Zelândia (devido ao fuso-horário). As músicas foram lançadas no Youtube hoje após às 05h00 da manhã do horário de Brasília, e você pode escutá-las no canal oficial de AURORA.

Nesse novo trabalho, AURORA apresentam uma variedade de variações harmônicas que são infinitamente deliciosas de ouvir e instantaneamente essenciais. Isso se deve em grande parte à decisão da norueguesa de desempenhar um papel importante na produção do álbum. As habilidades dela como produtora são muito evidentes, seja a sua emoção expansiva e expulsiva que nos faz sentir conectados ao mundo, ou a complexidade que ela impõe e transforma a sua própria voz. Isso é música! Arrepia! AURORA parece não deixar passar despercebido qualquer instrumento ou parte da sua voz, tendo como resultado uma observação clara de sua personalidade através da música. Dedique esse álbum a quem você ama! Ele é ser humano.

E ao ser perguntada sobre o que a capa representava, ela respondeu:
“A capa? É sobre carregar seu coração e veias do lado de fora da sua pele. Mostrar ao mundo o que você é e o que sente. Permita-se estar infectado.”

“All Is Soft Inside” é a faixa de número 4.

Para cantar junto a faixa número 8:

Infections of a differen kind

it’s a feeling growing old with time
like a restless in a leaves coming down
the world is a hole and we all seem to fall down

and the universe is growing tall
and we all caving into dreams of this base
unfolding her arms cannot do any harm
violent contractions

and if there is a God, would we even know his name?
and if there is a God, I think he would shake his head
and turn away

so belong to a soul
be God in a shape of a girl
walks this world

and I beg, I beg to be drained
from the pain I’ve soaked myself in
so I can stay
okay, and more than okay for a while, for a while, for a while
infections of Different Kind
the world is being attacked by our pain
if I’m the world then why would I hurt all that is living?

and if there is a God, would he then believe in us?
and if there is a God, I think he can’t hear all of us

belong to a soul
be God in a shape of a girl
walks this world

and I beg, I beg to be drained
from the pain I’ve soaked myself in
so I can stay
okay, and more than okay for a while, for a while, for a while

this is the breath, this is the breath.


Abaixo, você pode conferir o tracklist completo do Steap I:

01. Queendom
02. Forgotten Love
03. Gentle Earthquakes
04. All Is Soft Inside
05. It Happened Quiet
06. Churchyard
07. Soft Universe
08. Infections Of A Different Kind

O álbum completo pode ser apreciado no Spotify Brasil. Clique AQUI!

É importante ressaltar que nas últimas semanas AURORA soltou pistas de que o novo disco estava se aproximando, com publicações no Twitter e Instagram:

Nesse segundo álbum, AURORA cria uma resposta extremamente positiva e realista para tempos difíceis que vivemos. O álbum é um toque de clareza para jogar fora os turbilhões negativos do mundo moderno e abraçar a beleza de um reino que ela tão artisticamente apresenta.

Hoje um pequeno teaser de um possível documentário também foi lançado no Youtube! Assista abaixo:

Nos próximos dias iremos publicar uma matéria com todas as traduções!
Qual é a sua faixa favorita do disco até agora? Conta pra gente aqui embaixo!
Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais:  Facebook | Twitter Instagram

AURORA lança o segundo single: Ouça ‘Forgotten Love’! Postado por: Milena Carvalho às 12:08
A espera acabou!
Intitulada de Forgotten Love, a nova música da AURORA foi lançada hoje nas redes oficiais da cantora, e, ao contrário de Queendom, sem um videoclipe. Vale lembrar, no entanto, que a cantora já havia apresentado o trabalho em uma live para a Billboard. 

Com um estilo musical bem diferente das músicas do primeiro álbum, All My Demons Greeting Me As A Friend, a canção carrega uma sonoridade mais dançante. Além disso, a música dá continuidade à espera do novo disco da cantora previsto para os próximos meses, mas sem nome ou data divulgadas.

Não podendo ser mais completa possível, a artista pintou a capa do próprio single:

“Às vezes, carregar memórias muito perto pode nos impedir de vivermos nossas vidas ao máximo. Como Dumbledore diz: “Não vale a pena viver sonhando e se esquecer de viver”. Ouça ‘Forgotten Love’ aqui: Aurora.lnk.to/ForgottenLoveTW

Queendom e Forgotten Love fazem parte do 2º álbum de AURORA. Ouça a versão de estúdio e confira a tradução da letra original:

LETRA:

Can you tell if I’m cold?
If I’m out of daydreams?
If I lose what is loved
Will a new love await me?
I am touched by wonder
When I am blind in the darkBut you drown me in daylight
Don’t swim with me darling
I prefer the sun of you
When you are away, away
(Teardrops are the corpses of a sweet goodbye)

If I am left with a rose in my hand
Let it die
It’s the beauty in forgotten love
And I don’t care if you don’t understand why I cry
It’s the beauty in forgotten love

I forget how emotions dance
When they aren’t inside of me
I forget how the sun feels
When she isn’t around me
And my dreams become sweeter
When something is missing
I’m in love with the hunt itself
It makes me feel alive, alive

If I am left with a rose in my hand
Let it die
It’s the beauty in forgotten love
And I don’t care if you don’t understand why I cry
It’s the beauty in forgotten love

Hun går
Ölessu
Hun går ferilisseræna féressu
Hun går férilisserana irsser
Ruriguere
Ruriguere
Lissiræna hun går
Fearless Enough
Fearless Enough

I release my body
And there is no ghost of you inside my mind
I am moving on and thank God you let me try
You are the reason I can dance
Within the fire of goodbyes, of goodbyes
I can lie in the dark room
Without the feeling that I’m lonely
Oh, (it’s the beauty in forgotten love) oh

If I am left with a rose in my hand
Let it die
It’s the beauty in forgotten love
And I don’t care if you don’t understand why I cry
It’s the beauty in forgotten love
Oh (it’s the beauty in forgotten love)
Oh, oh (it’s the beauty in forgotten love)
Ah

TRADUÇÃO:
Amor esquecido
Você pode dizer se eu estou com frio?
Se eu estou fora de devaneios?
Se eu perder o que é amado
Um novo amor vai me aguardar?
Eu sou tocado pela imaginação
Quando estou cego no escuroMas você me afoga na luz do dia
Não nade comigo querida
Eu prefiro o sol de você
Quando você está longe, longe

Se eu ficar com uma rosa na minha mão
Deixe-a morrer
É a beleza do amor esquecido
E eu não me importo se você não entende porque eu choro
É a beleza do amor esquecido

Eu esqueço como as emoções dançam
Quando eles não estão dentro de mim
Eu esqueço como o sol se sente
Quando ela não está perto de mim
E meus sonhos se tornam mais doces
Quando algo está faltando
Eu estou apaixonado pela caça em si
Isso me faz sentir vivo, vivo

Se eu ficar com uma rosa na minha mão
Deixe-a morrer
É a beleza do amor esquecido
E eu não me importo se você não entende porque eu choro
É a beleza do amor esquecido

Eu libero meu corpo
E não há fantasma de você dentro da minha mente
Eu estou seguindo em frente e graças a Deus você me deixa tentar
Você é a razão pela qual eu posso dançar
Dentro do fogo de despedidas, de despedidas
Eu posso deitar no quarto escuro
Sem a sensação de que estou sozinho
Oh, (é a beleza do amor esquecido) oh

Se eu ficar com uma rosa na minha mão
Deixe-o morrer
É a beleza do amor esquecido
E eu não me importo se você não entende porque eu choro
É a beleza do amor esquecido
Oh (é a beleza do amor esquecido)
Oh, oh (é a beleza do amor esquecido)
Ah

______________________________________________________________________

Diz pra gente, o que você achou da letra?
Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais para saber mais novidades! Facebook | Twitter Instagram

Novo single de AURORA será lançado na sexta-feira, diz revista inglesa Postado por: Juliano Martins às 17:35

No dia 12 de agosto, a revista inglesa The Times publicou uma entrevista com AURORA feita por Dan Cairns, abordando desde o que ela pensa de Bergen até as suas inspirações musicais e informando a data de liberação do novo single!  Confira a tradução:

“The Times: AURORA AKSNES: A CANTORA COM SELVAGERIA E EXTRAVAGÂNCIA
Ela pode ser inspirada pela natureza, mas a estrela norueguesa está misturando areia na melodia.

Entrando no café do museu, uma figura minúscula de jaqueta escarlate e uma saia de tule até o tornozelo e enfeitada com as luvas cor de mostarda sempre nos faria virar as cabeças. Se você não a conhecesse melhor, assumiria que somente esse poderia ser o figurino da AURORA, que chega virada para a grande entrada (do museu). Estamos em Bergen, onde a clientela olha apenas brevemente sobre seus cafés e doces antes de retomar suas conversas.

AURORA se encaixa aqui, ela cresceu ao sul da cidade norueguesa e agora a chama de lar. Quando não está gravando ou em turnê , a jovem de 22 anos caminha pelas montanhas que pairam acima dela, alimentando a imaginação que produz as músicas sombriamente detalhadas e ricas em melodrama com as quais ela fez seu nome há quatro anos.


“O que eu amo aqui é que temos as montanhas ao nosso redor, nos oferecendo um meio de fuga. Se minha cabeça está muito cheia, eu subo e, quando estou no topo, encontro uma solução, vejo o problema de maneira separada. Você aprende muito estando em lugares calmos, na natureza, onde nada exige nada de você. Você é um bebê de novo, maior que os insetos, mas menor que as árvores.”

Para o exército de fãs da cantora, que são conhecidos como Warriors and Weirdos (Guerreiros e Esquisitos), declarações como estas são uma parte fundamental do encanto de AURORA Aksnes. Os não-crentes podem achá-los um pouco confusos e excêntricos, mas isso perde a aridez e a feroz autoconfiança que coexistem com as reflexões da Mãe Natureza. Você ouve isso quando fala sobre encontrar as pessoas certas para trabalhar e evitar aqueles que “sorriem com dentes pontiagudos”.

-“Passei muito tempo escolhendo um time”, diz ela. “Eu conheci todos cara a cara e, não importa o tamanho da empresa ou da oferta, se eu não gostasse da pessoa, eu dizia não e seguia em frente. Levei muito tempo para encontrar pessoas que diziam as coisas certas e faziam as perguntas certas. Aprendi a ouvi-los, mas também a mim mesmo, porque me conheço muito bem. Eu chamo de emoção na barriga quando você apenas sabe se “eu odeio isso”, ou “eu amo isso”. Então eu vou ouvir, mas muitas vezes eu vou perceber mais tarde que eu estava certa.”

As músicas de AURORA, que bebem da mesma fonte que Angela Carter, John Tavener, Kate Bush e Neil Gaiman são pessoais e universais. As faixas de seu segundo álbum abordam questões como abuso doméstico, aquecimento global, conexão vs conectividade, medo da intimidade e – em seu recente lançamento Queendom – a necessidade de um matriarcado benigno, mas militante.

Musicalmente, ela evoca paisagens sonoras folktrônicas que giram e vibram com cordas, piano tratado, harpa e coral de voz masculina. Há melodias que parecem de algum modo predeterminadas, tão antigas quanto as montanhas que ela sobe. Tal complexidade não intimidou seus fãs: suas músicas marcaram mais de 500.000.000 transmissões. O que é lindo, ela diz. É só que fatos e estatísticas como esses podem parecer um pouco abstratos e opressivos.
“Eu nunca achei tão fácil. Eu sou muito ruim em aceitar a importância de se promover e os benefícios de fazer isso. Eu nem sempre faço – ou aceito – a conexão. Se eu postar uma foto, eles comprariam mais ingressos? Eu fico, tipo, Se eles querem ir, não comprariam um ingresso de qualquer maneira?” Sua persona promocional é, ela diz, “Como o não-físico eu, aquela que encontra o mundo para mim. E é estranho: ela tem uma vida própria, ela está em 50 lugares ao mesmo tempo, dizendo coisas diferentes para pessoas diferentes, através de uma única música. E ela está me deixando mais famosa, mas eu gosto da vida tranquila, e de deixá-la liderar sua própria vida. Nós nos encontramos de vez em quando.”


AURORA ganhou mais fãs de vitrines quando cantou Half The World Away, do Oasis, para o anúncio de Natal de John Lewis em 2015 (clique AQUI para ler os maiores sucesso da AURORA, incluindo o cover do Oasis). O single se saiu perfeitamente bem anunciando a explosão de versões de covers ofegantes e sem sangue que agora dominam a publicidade televisiva. Sua resposta, quando eu pergunto se ela executa a faixa como parte de seu set, parece reveladora. “Talvez no primeiro show depois que o anúncio foi lançado, eu toquei no Reino Unido. Mas eu não tenho feito isso desde então. Há uma parte (da música) que eu não gosto, ‘This old town don’t smell too pretty.’ (Esta cidade velha não cheira muito bem).” Não parece comigo. Eu gosto de muitas das outras letras, é apenas essa parte que me incomoda, e isso me fez pensar: “Ok, não de novo”.

Ela e suas duas irmãs cresceram, diz ela, ouvindo apenas Enya, Leonard Cohen e Bob Dylan. A rádio foi banida porque AURORA achou as notícias muito tristes. Pergunte a ela de onde vêm suas melodias e ela encolhe os ombros. “Eu penso muito sobre isso. Eu não tenho o Spotify, não tenho o iTunes. Eu tenho alguns LPs, mas nenhum toca-discos. Eu não sou ensinada, então eu sempre luto quando escrevo uma música, porque pode haver muitas melodias acontecendo, e elas geralmente são bastante selvagens. Você tem que amar esse “bastante”.

O novo single de Aurora será lançado na sexta-feira na Decca.”

Tem algum palpite? Nós já apostamos em uma música nas nossas redes sociais! Ainda não nos segue?
Siga o Portal AURORA Brasil para saber mais novidades!  Facebook | Twitter Instagram

Para ler a entrevista original clique AQUI.
Tradução: Flávia Giuliana

AURORA está redefinindo o que significa ser forte, segundo A.Side. Postado por: Milena Carvalho às 04:31

Com sua primeira visita para a cidade de Toronto e o lançamento de novo álbum esse ano ainda, AURORA tem concedido bastante entrevistas. Recentemente a A.Side. compartilhou uma entrevista bem descontraída sobre AURORA e sua personalidade. A tradução você pode conferir agora aqui no Portal AURORA Brasil:

A cantora e compositora norueguesa de 22 anos acha que defender os outros é uma responsabilidade coletiva.

AURORA acredita que ela está conectada a tudo. É evidente em seus movimentos, que são muito calculados e ainda assim, muito livres. Durante nossa conversa em um beco coberto de graffiti atrás do Velvet Underground em Toronto, ela não pode deixar de parar no meio da frase quando uma mosca pousa em seu braço, aproveitando o tempo para absorver a sua presença:

“Eu sinto que sou parte de um grande organismo”, ela reflete.

A cantora, compositora e produtora norueguesa monônima de 22 anos começou a escrever música aos 6 anos e lançou seu primeiro álbum de estúdio, All My Demons Greeting Me As A Friend, com grande aclamação e um crescente público internacional em 2016. Desde então, a mistura de batidas rítmicas e vocais assombrosos de AURORA, trouxe sua música para estrelar programas de TV como Teen Wolf e Wentworth e a levou a se apresentar no concerto do Nobel da Paz. Seu recém-lançado single “Queendom”, faixa do seu segundo álbum que sairá este outono, já acumulou mais de 3 milhões de transmissões no Spotify.

Quando pedi a AURORA que se apresentasse, a primeira coisa que ela mencionou foi que ela vem de um fiorde, o espaço estreito entre dois penhascos, chamado de “O Fiorde da Luz”. Também é uma descrição adequada da própria artista: uma luz em uma paisagem de escuridão política e social.

 

Eu realmente amei o seu álbum de estreia All My Demons Greeting Me As A Friend. Ouvimos o novo single, “Queendom”, e estou imaginando o que podemos esperar do novo álbum e como ele mudou ao longo do tempo.

“Bem, isso mudou muito de algumas maneiras, de maneiras que talvez só eu entenda; mas de certa forma não mudou nada. O single “Queendom” é bem diferente do álbum, mas é um ótimo teste. É bom ver como as pessoas reagem a diferentes tipos de música. Tem sido um experimento. Foi um grande desafio também porque estou sendo bastante abrupta e essa música é bastante política. Mas o álbum é apenas mais Aurora. Eu produzi realmente “eu” desta vez porque eu me entendo ainda mais. É muito emocional. Pode ser um pouco mais leve que o primeiro… depende da música – ela ri.  Acho que o clima geral é que eu quero que as pessoas se sintam preparadas para seus obstáculos diários. Eu quero que esse álbum seja um álbum que faz você se sentir forte. Eu quero que as pessoas se sintam grandes e eu quero que seja um álbum que elas possam ouvir e apenas dançar e andar com passos firmes no chão. É muito empoderador.”

Eu ouvi você falar sobre como você quer defender as pessoas, especialmente as pessoas que não conseguem se defender e fiquei me perguntando de onde vem essa inspiração.

“Veio de viajar pelo mundo e realmente ver que somos iguais, estamos tão conectados, e as pessoas no Brasil têm os mesmos problemas que as pessoas na Noruega, sabe? Tem sido muito interessante ver mais e mais como somos um organismo, ou apenas uma coisa viva. Tudo o que está vivo é apenas parte de uma coisa. Eles têm diferentes sonhos, propósitos e mentes, mas eu vejo a humanidade de maneira diferente do que via antes. Eu sinto que sou parte de um grande organismo. Eu só achei que não faz sentido não lutar por todo o resto quando você faz parte de todo o resto. É como se eu estiver sendo gentil com o mundo, então estou sendo gentil comigo mesmo. Devemos tomar todas as batalhas pessoalmente, tanto quanto pudermos. Comece com suas próprias batalhas e lutas na vida, mas se tivermos espaço para o mundo, para mais do que o nosso, então pode ser uma coisa muito mágica defender as mulheres e os homens e os animais e o planeta.”

Eu acho realmente interessante como você está falando sobre todos nós sermos um organismo porque isso parece tão óbvio, mas poucas pessoas percebem isso e se reconhecem nas pessoas ao seu redor. Você acha que isso é importante hoje especialmente porque o cenário político é tão assustador?

 “É. É muito assustador e eu posso ver o mundo reagindo de uma maneira boa também, porque nos provoca. Nos faz ser mais cuidadosos do que pensávamos, mas também faz com que toda a situação pareça ainda mais impossível. Isso nos faz sentir como se deveríamos apenas deixar de lado e não se importar, porque nós apenas queremos viver nossas vidas, sabe? O que também é muito importante, mas acho que [defender o que acreditamos] pode ser feito de maneira menos instrutiva e mais humana. Eu vou integrar isso ainda mais em minhas músicas. Quero trabalhar com organizações em que acredito e doar algumas das minhas vendas de ingressos e vendas de álbuns. Eu quero apenas incluir…” – Aurora se distrai com um pedaço de poeira flutuando no ar e a agarra. “Desculpa. Eu quero incluir as pessoas de uma forma muito natural que simplesmente acontece. Tipo: “Ah, sim, se eu comprar o álbum dela, então eu recebo esta pulseira, que é feita de” … bem, eu não posso te dizer isso ainda. Isso é realmente uma pista muito divertida.”

Eu acho que também porque você é de uma área muito bonita e florestal, você não se desconecta da maneira que às vezes fazemos na cidade.

“É verdade. Embora você se conecte a cheiros e comida e cultura aqui muito mais do que eu em casa, o que também é muito bonito. Eu sinto que a música pode fazer o mesmo também. É o mesmo tipo de coisa natural. Tem estado conosco mais tempo do que religião, música. É uma maneira de celebrarmos, expressar tristeza e felicidade, e por tanto tempo estamos dançando. Mesmo quando fomos para a batalha, tínhamos tambores e música.”

E é tão interessante como isso pode mudar como você está se sentindo. Você estava falando sobre isso no caminho, como você se recusa a ficar parado ou andar em qualquer lugar, porque dançar faz você se sentir feliz.

Pode definitivamente fazer você se sentir feliz, e isso pode fazer você se importar. Isso pode animar você, e espero dar às pessoas algum tipo de faísca neste próximo álbum para nos fazer – eu não sei. Eu não sei a palavra. Não é com raiva … é determinado. Eu acho que talvez você saiba quando ouvir o álbum. Talvez você pense: “Ah, essa é a essência disso.”

Música e qualquer forma de arte estão sempre evoluindo e mudando. Você sabe agora onde sua música está indo no futuro?

“Eu sei agora onde meu próximo passo está indo. Eu tinha terminado este álbum há muito tempo, mas decidi que queria fazer algo diferente desta vez, então eu tive que fazer algo que leva muito mais tempo para terminar se isso faz sentido. Eu vou trabalhar com isso de novo um pouco mais até que esteja pronto, mas eu já sei qual é o meu terceiro passo. O primeiro álbum foi sobre pessoas olhando internamente e lidando com suas próprias merdas. Este álbum está se erguendo disso e determinação e sendo capaz de lutar por tudo. É uma perspectiva mais ampla do que interna, é externa. O próximo passo, eu já sei qual deveria ser a essência. Eu já conheço o passo, mas não sei como é o som. Eu sempre sei de tudo, é muito… estranho”

Tradução por Flávia Giuliana

Para ler a matéria no idioma original, só clicar aqui!

Palpites de quantas músicas teremos? Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais para saber tudo o que AURORA anda falando e as novidades sobre o segundo álbum! Facebook | Twitter Instagram

AURORA afirma que o novo álbum terá mais de 11 músicas Postado por: Milena Carvalho às 04:24

Com o lançamento de novo álbum em vista para o segundo semestre desse ano ainda, AURORA tem dado bastante entrevistas. Uma das recentes foi para o blog musical Live in Limbo de Toronto, onde fala um pouco sobre as mudanças do novo álbum, empoderamento, números primos, livros, gravações com a Didá entre outros assuntos. A tradução você pode conferir agora aqui no Portal AURORA Brasil:

Em um café perto do Velvet Underground de Toronto, AURORA olha pela janela e pensa alto:

 “Veja essas pessoas. Onde elas estão indo? Hoje é um dia bom ou um dia ruim? Eu sou tão curiosa sobre o que as pessoas têm em mente.” – Ela fala em tons suaves que te força a ouvir, e uma seriedade calma que transmite sinceridade e interesse genuíno.

No meio da nossa conversa, ela faz uma pausa ao perceber um pequeno inseto no cachecol – uma peça do vestuário esquecido na mesa devido à chegada do clima mais quente de Toronto – e cuidadosamente o leva de volta ao mundo exterior. Está quente lá fora, mas seus fãs, seus Guerreiros e Esquisitos, esperam pacientemente do lado de fora até 3 horas antes das portas abrirem. No começo da tarde ela saiu para cumprimentá-los e trazer água pra eles. O mundo escolheu muitas definições para a cantora-compositora Norueguesa de 21 anos: estranha, excêntrica, inocente. Mas eu acho que, subjacente a tudo isso, é uma curiosidade, admiração e apreciação no mundo.

Você tem um álbum novo que deve sair no outono. Ao discutir seu álbum anterior, ‘All My Demons Greeting Me As A Friend’ você disse que tem quase um lado A, o que a rádio pode querer, e um lado B, o que você sente e ressoa com. Para esse álbum novo existe uma divisão similar, ou agora que você já tem um álbum na conta, ele é todo ‘lado B’?

 “Eu tenho me perguntado isso.  Na verdade, é ambos – é música que te atinge instantaneamente, mas também é muito estranho, muito eu. A coisa toda, as melodias, as letras e especialmente a maneira que foi produzido, são muito AURORA. É porque me conheço mais agora. Claro que os singles estão lá. Mas eles têm que ser como esse. Eu não me importo, porque ainda continua sendo música e não perde a mensagem. Sei que todas essas pessoas na gravadora querem a mesma coisa que eu – eles querem que eu tenha uma carreira longa, e eles querem que eu divulgue minha palavra porque eles sabem que tenho muito a dizer. Logo que terminei meu primeiro álbum, eu sabia o que tinha que melhorar no meu segundo álbum. Foi muito instantâneo. O dia que lancei meu álbum, eu estava pronta. Eu comecei a compor no dia 12 de março, e foi o dia posterior ao lançamento do primeiro.”

Como esse álbum difere do primeiro? 

“O primeiro era muito sobre saudar seus próprios demônios como um amigo e aprendendo tudo sobre essa escuridão e luz. O segundo é muito empoderado.”

Queendom, seu single mais recente, é uma música muito empoderadora. 

Sim, é muito empoderante de algumas maneiras diferentes. Coisas como “eu vou embora se eu não estiver feliz aqui” e “eu vou crescer”. Em uma das canções do álbum, uma pessoa morre – claro, sempre tem alguém que morre em todo álbum – mas a pessoa que morre voltará e terá sua vingança. É um álbum muito empoderante, mas também sentimental às vezes. Esse álbum é sobre como você lidou com você mesmo, você pode se tornar quem você deveria ser e ajudar outras pessoas.”

Você precisa se cuidar primeiro antes de você poder cuidar de outras pessoas.

Você tem que estar! É o propósito da vida ser gentil com você mesma primeiro e então ser gentil com o que você pode ao seu redor. Precisamos lutar agora pelos que não podem lutar por si mesmos: os animais, as crianças, o planeta, as mulheres às vezes, e às vezes os homens. Eu só quero que nós olhemos para tudo que está vivo como uma coisa só.”

Especialmente agora com tudo o que está acontecendo no mundo, precisamos estar atentos.

Na verdade, eu acho que a música mais importante que eu já escrevi está nesse álbum.”

Qual das? Você já tem um título pra ela? 

É a faixa número 8. Em breve, todo mundo vai ficar muito confuso. Mas depois eles vão entender.”

Falando de faixas, você nos disse anteriormente que são 11 faixas no álbum, porque 11 é seu número favorito. Eu amo o motivo pelo qual você disse que é o seu número favorito – porque é o mesmo de cabeça pra baixo, certo?

Sim, e de trás pra frente! Eu também gosto muito do 8, porque se você olhar ele no espelho também é o mesmo não, não importa de que jeito. É tão satisfatório. É também por isso que a música especial é a faixa 8.”

Eu tenho uma fixação estranha com números primos, então eu amo o número 11 também.

Oh, eu também amo números primos! Muitas das minhas BPM’s, as batidas da música, são geralmente um número primo.”

Então existem 11 faixas no álbum novo, e eu ouvi que você sempre traz 11 objetos com você para te lembrar de casa. Você sempre traz os mesmos itens, ou você mistura tudo o tempo todo? 

Às vezes eu misturo tudo. Um dos 11 elementos é sempre um livro que eu possa ler. Então, quando eu acabo com o livro, eu dou pra primeira pessoa que eu vejo.”

Qual foi o último livro que você deu pra alguém? 

Foi ‘Coração de Aço’ de Brandon Sanderson. Eu dei ele para um menino que eu vi no avião quando voei para Nova Iorque alguns dias atrás. Ele tinha uma camiseta laranja e ele estava atrás de mim. Eu perguntei “você gosta de Sci-Fi?” e ele respondeu sim. Eu falei pra ele que ele amaria o livro, e perguntei se ele queria o livro.”

Agora, se for um livro que você não goste, você ainda daria pra alguém?

Eu faço uma lista na frente e escrevo: esses são os livros que eu geralmente gosto. Eu não entendi esse, mas talvez você entenda. Então eu deixo em um café ou algum lugar parecido. É muito divertido.”

No seu último álbum, você fez muito trabalho com sons ocultos. Em uma de suas músicas, você tem o som de você abraçando uma árvore, e eu amo muito aquele sentimento. Nesse álbum, existem outros sons ocultos?

Muitos! Eu tenho essa gravação de mulheres nas ruas do Brasil tocando percussão, e isso está escondido em ‘Queendom’. O álbum está repleto desses sons encontrados, porque é assim que eu gosto de produzir. Quando eu produzo, eu tenho uma longa gravação de muita música aleatória, eu escolho partes, e eu faço um loop.  É muito difícil porque não tem limites – é tão vivo, e tão aleatório, e não faz sentido até que você faça sentido, o que eu gosto.”

(Relembre quando AURORA visitou o Brasil e gravou esse trecho no Pelourinho clicando aqui)

Quando você está cantando músicas que incluem esses sons ao vivo, como eles são traduzidos? Você interpreta eles diferentemente em uma apresentação ao vivo?

A maioria das coisas é interpretada diferentemente porque eu gosto de manter a banda ocupada, e eu gosto quando as músicas soam diferente ao vivo.  Mas para algumas músicas, se eu realmente amo um som, e eu sinto que é importante para o estado de espírito, eu posso tê-los em uma faixa de apoio.”

Uma coisa que muitos de seus fãs apreciam é sua curiosidade sem fim e fornecimento de conhecimento único. Qual é a sua fonte de curiosidade e como você continua aprendendo coisas novas?

Bem, nunca me perguntaram isso antes! Eu amo ler e eu experimentei muitas coisas, boas e ruins, para a minha idade. Eu acho que é principalmente falando com as pessoas. Eu ouço muito as pessoas sábias, as pessoas idosas e se eu conhecer avós, elas sempre têm histórias para contar. Eu conversei com muitos – como vocês os chamam – psiquiatras? A única razão pela qual eu tenho amigos, porque eu era tão estranha na escola, era porque eu estava sempre perguntando “o que está acontecendo” e “por que você se sente assim?”

Você é uma caixa de ressonância. 

Sim, sempre foi minha posição em uma amizade e eu não me importo, eu amo isso.”

Você tem dificuldade em encontrar pessoas interessantes para conversar quando está sempre na estrada?

Às vezes. Acho muitas pessoas desinteressantes, e acho que muitas pessoas também são interessantes. Mas eu odeio conversa fiada, eu não sou boa nisso. Estou melhor agora porque conheci cinco milhões de pessoas nos últimos quatro anos, mas isso realmente me deixa entediada às vezes, especialmente em festas ou se estou em um bar sozinha. Adoro sair sozinha para beber e dançar e detesto quando as pessoas tentam falar comigo! A menos que seja um fã ou algo assim, então é legal.”

Qual foi a última coisa que você consumiu – seja um programa de TV, um filme, uma música, um livro ou qualquer outra coisa que fez você sentir algo forte? 

Na verdade, acho que foi o último livro que eu li, ‘Coração de Aço’ de Brandon Sanderson, o que eu dei para o garoto no avião. Eu acho que não é um spoiler muito grande dizer que alguém morre, porque é um livro muito brutal. Mas uma pessoa morreu, e eu tive que parar de ler por dois dias antes de poder voltar ao livro porque sentia que tinha vivido com essas pessoas por tanto tempo. Foi muito triste, e eu tive que parar. Apesar disso, eu amo o livro.”

É lindo que coisas possam nos fazer sentir assim.

E apenas por um curto período de tempo, porque se você realmente se tocar, você percebe “Eu realmente não tenho nada para ficar triste!” Mas também é bom estar triste.”

Sim, é engraçado. Não é alguém que você realmente conhece, é separado de você e, no entanto, você é superado por essa emoção intensa. Não faz sentido, não é lógico. Mas acontece e você sente isso. O que eu acho lindo. 

Essa é a minha coisa favorita sobre emoções – que elas são tão selvagens e irracionais. De certa forma, agimos da maneira que fazemos por causa de todas essas emoções. É tão lindo, tão frágil.”

É o que nos torna únicos, e você faz um ótimo trabalho de encapsular todas essas emoções, e toda aquela estranheza humana e maravilha em sua música. 

Na verdade, eu tenho que te dizer mais uma coisa, eu sei que eu disse a todos que existem 11 faixas no meu álbum. Mas algo aconteceu. Eu tive um sonho e decidi que tinha que fazer meu plano de maneira diferente. Isso fará muito mais sentido e ainda terá um sentimento yin e yang. Haverá confusão e depois compreensão. Mas você vai ver.”

São 111 músicas agora? 

(Risos). Decidi há alguns dias, na verdade, contei a todos da minha equipe, e eles concordaram. Então vai ser emocionante.”

Tradução por Flávia Giuliana

Para ler a matéria no idioma original, só clicar aqui!

Palpites de quantas músicas teremos? Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais para saber tudo o que AURORA anda falando e as novidades sobre o segundo álbum! Facebook | Twitter Instagram

1 2
Portal Aurora Brasil