Sua fonte OFICIAL sobre a cantora AURORA no Brasil.
AURORA é citada em questão da FUVEST 2019 Postado por: Juliano Martins às 22:12

A segunda fase da prova da FUVEST tinha uma questão baseada em uma fala da AURORA.

A FUVEST (Fundação Universitária para o Vestibular), um dos vestibulares mais importantes do Brasil, realiza todos os anos provas para alunos alunos que visam estudar na Universidade de São Paulo (USP) ou na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSC-SP). Todos os anos são mais de 100 mil estudantes disputando pouco mais de 10 mil vagas, por isso a FUVEST é conhecida como um dos vestibulares com maiores índices de concorrência do país (fonte).

Hoje, no segundo dia de aplicações de prova, um dos textos usados para uma das questões da prova continha uma fala de AURORA em uma matéria publicada no Portal AURORA Brasil em 2016: 

“Bem, minha vida mudou muito nos últimos dois anos. O mundo que explorei mudou muito. Eu vi muitas paisagens diferentes durante as turnês, e é realmente inspirador ver o quão grande é o mundo. Eu quero explorar e experimentar diferentes partes da natureza, mas eu não gosto do deserto, sinto muito pelas plantas! Ou talvez eu goste disso… te deixa com sede de olhar para ele…”
Os alunos deveriam interpretar o uso da palavra “Bem”, comparada a falas de outros autores. E, claro, os fãs foram à loucura nas redes sociais:

Só faltou ficar cantarolando durante a prova, hein? <3

Opa, teve sim!

Vale lembrar que a cantora esteve no Brasil no final de 2018 para um pocket show privado em São Paulo, e compromissos no Rio de Janeiro, aproveitando para gravar um acústico da música “Forgotten Love” nos estúdios O Globo. Na entrevista publicada por Nicollas Witzel, no mesmo jornal, AURORA falou sobre suas novas músicas, os fãs, e sua língua imaginária. Leia na íntegra a matéria completa publicada no dia 17/12/2018.

Ainda no Rio de Janeiro, AURORA se apresentou no programa “Encontro com Fátima Bernardes”, onde divulgou as novas datas de shows para o Brasil nesse ano! A norueguesa passará por Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo Curitiba e Porto Alegre em maio desse ano. Você pode encontrar mais informações clicando AQUI.

Deixe nos comentários como você esta reagindo a essa notícia! Não deixe de seguir o Portal AURORA Brasil nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook 

Onde a mágica acontece Postado por: Marina Vinhas às 17:29

Aurora é conhecida no Reino Unido por sua interpretação emocional do hino tocante de Oasis de 1994, Half The World Away, o qual foi escolhido como trilha sonora para o comercial de Natal do John Lewis em dezembro de 2015. Por mais bonito que seja, tem muito mais dessa peculiar cantora norueguesa que só isso. Ela começou a escrever seu próprio material muito jovem, e agora tem um repertório com mais de 100 músicas: “Algumas delas eu odeio, algumas não são boas, e outras eu realmente amo.” ela disse, com um sorriso, enquanto nós sentávamos no Shepard’s Bush Empire. Ela lotou esse local icônico essa noite, mas você nunca saberia disso – ela é tão humilde quanto é adorável… Então isso fez ela muito humilde com certeza.


“É mágico, sonhador, e bonito, mas também duro e feio às vezes!”

Aurora disse para mim que ela vem trabalhando com estudantes na British and Irish Modern Music Institute (BIMM) recentemente; eles queriam falar com ela sobre várias coisas, ela disse: ser jovem na indústria, seu processo de composição, e como ela foi em quebrar isso internacionalmente.

Então eles roubaram todos minhas perguntas, então? Ok, então qual foi a primeira música que você já escreveu?

“[risos] Eles não me perguntaram isso! Bem, foi no meu quarto; Eu era uma espiã musical secreta por muitos anos até alguém saber que eu escrevia ou podia cantar, sabe. Eu tinha mais ou menos nove anos,” ela explica. “Eu acho que foi provavelmente muito ruim, a música, e eu toquei ela no violão, mesmo eu sendo uma boa pianista, não boa no violão. Mas eu era uma grande fã do Leonard Cohen, então eu queria escrever ela em inglês, e no violão, eu acho.”

Aurora tem uma voz boa sem esforço, e seu som é muito ambiente, mas com alguns toques percussivos e eletrônicos. Eu perguntei a ela o quanto ela é envolvida com a produção da música. Muito, aparentemente.

“Eu colaboro com o Magnus, que toca bateria na banda; eu estou muito envolvida na gravação e nos elementos ao vivo da minha música; ao vivo não é completamente diferente, o coro principal está lá – que sou eu, eu acho – mas é legal que todos na minha banda possam cantar, exceto pelo meu sintetizador, e isso é muito importante para mim, já que eu não gosto de muitas faixas de apoio, especialmente nos vocais,”Aurora explica, levemente.” Sempre foi minha meta ser boa, mágica e interessante, também; e eu tento em alguns lugares fazer o show ao vivo mais simples e aberto que o álbum, mas às vezes nós damos ainda mais som, e nós focamos na energia. Eu quero que nós tenhamos diversão enquanto estamos nos palco, que isso deveria ser apenas sobre boas energias.”

screenshot_2

Falando em energia e ser aberto no palco, foi uma mudança na marca do microfone que realmente mudou o jogo para Aurora. Ela e sua banda inteira estão usando DPA d:factos, que trouxe um novo elemento para o show.

“Eu realmente gosto do microfone DPA,” Aurora admite. “Eu não sei… [pausa] Ele abre mais o som, se isso faz sentido? Faz tudo soar tão claro, o que eu acho que meu som precisa ao vivo; é muito puro, distinto e nítido; tem muita claridade no som do microfone, o que com certeza significa que o som nos meus fones é muito claro, também. Eu lembro do tempo antes da gente ter os fones e o d:facto – Eu costumava ter que gritar muito alto para ouvir alguma coisa nos monitores, então essa mudança fez uma grande diferença; eu posso ouvir tudo claramente, e isso também significa que eu posso focar em adicionar coisas especiais nas performances, isso é adorável.”

A conversa se volta para as várias cenas musicais europeias, e como todos nós percebemos diferentes estilos de musica de uma forma diferente. Mas quando vem a isso, Aurora acha que é tudo sobre momentos de mágica musical.

“Na Noruega, nós nos abrimos para o que vem dos EUA e Reino Unido, mas eu acho que em algum lugar nesse planeta, as pessoas abriram seus olhos para algo novo – um artista, ou uma voz que eles gostem – e isso os toca de uma maneira especial, o que a música pode fazer algumas vezes,”ela fala. “É a mágica na música; e música é uma daquelas coisas básicas, como amor, toque, e fome, e tristeza; isso nos toca de maneiras primitivas, e também de maneiras complicadas, mas é tão humano. Eu sinto como se fosse bom e real, então as pessoas entendem. Não importa de onde vem.”

Ajuda ter uma força de algum lugar, Aurora admite, como dar entrevista e shows na TV, mas quando você tem aquela única oportunidade que abre uma porta, você toma ela. Isso leva a conversa até aquela excelente interpretação de Half The World Away, do Oasis, que ela cantou para o comercial de Natal do John Lewis ano passado.

“Eu não escolhi aquela música, mas a equipe do John Lewis a escolheu; muitos artistas foram chamados, e eu não tinha a escutado antes na verdade, mas eu gostei quando a ouvi.” Aurora lembra. “Letra legal, ele é um bom compositor, né? [sorrindo] Eu não sou uma grande fã de Oasis, mas eu definitivamente entendo o que as pessoas vêem neles; eu gosto da alma deles, com certeza.”

Depois do sucesso da campanha, Aurora e sua equipe viram rápido um acréscimo em suas visualizações online. Não é algo que ela se importa muito, e ela confessa que não sabe quantas visualizações ela tem agora, mas isso definitivamente abriu portas.

“Nosso país número um em visualizações de repente foi Inglaterra, então isso fez um grande impacto, e muitas pessoas me encontraram através daquela música; com sorte, eles gostaram da minha música depois de ouvirem aquilo,”ela sorri. “Eu não tenho a necessidade de todos me conhecerem – nem um pouco – mas eu acho confortante que alguns aí fora conhecem.”

E esgotar o Shepherd’s Bush Empire, fala por si, especialmente considerando que a carreira dessa artista jovem está começando.

“Sabe, ninguém faz música nova, quando estamos todos afetados por algo,” ela fala, muito espiritualmente. “Minha maior influência é Enya; eu a ouvi essa manhã. Eu amo ela! Ela me faz continuar. Eu amo a maneira que ela usa tantos vocais, e também partes para percussão e sintetizador. Vocalmente, eu sou muito influenciada por isso. Mas então eu amo The Chemical Brothers, também; e eu também adoro um pouco de metal e música folk! Eu também gosto daquela vibe eletrônica; e Enya tem um pouco desses sons também, embora seja sua voz principalmente. Para mim, é importante que seja mágico, sonhador e bonito, mas também seja um pouco desagradável e feio às vezes.”⁠⁠⁠⁠

screenshot_3

Ótima no piano, certamente boa no violão… Mas eu entendo o sentimento da Aurora experimentando outros tipos de instrumento, dando o som amplo e elementos eletrônicos experimentais em sua música…

“Ah, absolutamente! Eu acabei de comprar uma harpa, em fato,” ele disse.

Espere, esse não o instrumento mais difícil no mundo de tocar?

“É? Eu tive muitas lições online antes de eu conseguir a harpa, o que não faz nenhum sentido na verdade, mas eu sei tudo sobre isso, e eu ensaiei em uma harpa imaginária, o que soa ótimo [sorrindo]. Depois eu comprei uma nova algumas semanas atrás. Eu queria trazê-la nessa turnê, mas era muito grande. Eu mal espero para tocar ela direito. Eu achei ela fácil pois ela é construída da mesma forma que um piano, e apesar de que não toco músicas muito complexas ainda, eu posso me acompanhar com bastante facilidade. Eu devo ter um tocador de harpa no fundo do meu coração que quer acordar!”

Claramente! Enquanto íamos para a checagem de som, Aurora admite que não pode acreditar que está onde está, considerando que a vida musical era tão diferente a apenas 12 meses atrás. Ela me conta que tem que assistir [o filme] O Fantástico Sr. Raposo antes do show – aparentemente um favorito – e nós nos despedimos por agora.

Gerente de turnê da Aurora desde Abril, Tomin Tollefson, no qual eu vejo colocando microfones ao redor de um set de bateria meio que parece ser Ringo: snare, pequeno tom, grande tom, par de pratos. Ele disse a mim que devido ao ambiente da Aurora, sons eletrônicos, e seu tempo (termo musical) baixo, ele tenta fazer as partes mais leves soarem muito boas.

“Essa noite, Aurora tocou 2 músicas totalmente acústicas, com um tempo muito baixo, e o resto da banda deixa o palco; eu posso falar a você agora que a audiência estará em um silêncio mortal para isso,” ele sorri. “Depois ela vai trocar para uma ou duas faixas de tempo alto, onde o baterista e o tocador de violão irão fazer sua parte.”

O baterista, Magnus, é muito minimalista, Tollefson diz – e isso é uma coisa boa:

“Ele está até trabalhando em se livrar de seu pad eletrônico; e ele não quer um tom de segundo andar, ou nada parecido com isso; ele não bate na bateria, ele toca a bateria, e ele é um tocador por causa disso.”

Confortante de se ouvir, com certeza – como são os vocais angelicais da Aurora, especialmente quando cantados através de ser confiável DPA d:facto. Como ela me disse mais cedo, todos seus cantores estão no d:factos, e Tollefson concorda que isso mudou o jogo, por assim dizendo.

“Os microfones fizeram uma diferença importante, e queremos ir sem cabos [com d:facto] em breve, como a Aurora gosta de agitar o palco realmente. Acredite ou não, nós fizemos 40 festivais esse verão, estão tem sido um grande passo para ela, e ela está tomada por isso muito bem,” ele diz, incluindo que ela emprega 8 pessoas por agora, então ‘teve que crescer rápido na indústria’. Crédito a ela por isso.

“Eu sou agora gerente de turnê, engenheiro de monitor e backline; e eu dirijo se eu precisar! [risos] No Glastonbury, nós chegamos no palco apenas 40 minutos antes da hora do palco, então todo mundo reforçou e colocou suas próprias coisas juntas, e nós estávamos no tempo, o que fui muito legal.”

Então a vibe da equipe é tão relaxante quanto a música?

“[sorriso] É, [engenheiro FOH] Paul [Vikingstad] está com os microfones e cabos, eu estou com a backline (base), e conseguimos aprontar tudo em menos de uma hora,” ele diz, com um sorriso.

No palco, é tudo sobre a vibe, atualmente, como a Aurora expressa as letras tão bem com apenas o microfone em mãos, Vikingstad me diz. Ele vem mixando para Aurora por 2 anos e meio, em quais ele vem passando por ‘muitos contínuos avanços.’

“Desde o início, Aurora tem sido muito aberta, e ela ouve. Ela também está acostumada a trabalhar no estúdio com diversos microfones, mas eu lembro quando eu apresentei a ela o DPA d:facto, teve um olhar muito surpreso em seu rosto… A primeira vez que ela tentou, ela estava como, ‘Como isso é possível?’; e agora temos DPAs em toda parte; é um grande passo [no áudio] sem ter que fazer nada realmente, o que é ótimo.”

Nós observamos o kit de bateria juntos, e eu nunca vi um overhead (microfone na bateria) igual aquele – tem ‘underheads’, no entanto:

“É, eu gosto de chamar elas de underheads, como ela faz o kit de bateria se destacar mais; eu tenho um DPA 2011C apoiado abaixo da batida aqui, uma para a direita da condução, também pegando a outra batida; e depois um outro no hi-hats, com mais dois na snare – topo e fundo. Nós também temos uma no pedal; eu estava surpreso de quão bom ele funciona, mas é muito musical; não tem nenhum daqueles pré-marcado EQ que você tem nos microfones do pedal. Depois nós temos um [DPA]4099 no grande tom porque é muito direto, e não tem feedback; também, eu uso tons de final baixo e baixo retorno em meus verbos, ainda isso nunca sai de controle.”

Nessa noite, o set da Aurora foi de tirar o fôlego, tanto vocalmente quanto sonoramente, e a plateia estava aqui não apenas para ouvir, mas para sentir; e eu não posso evitar de pensar que é exatamente isso o que essa talentosa cantora queria ter tido.⁠⁠⁠⁠

Palavras: Paul Watson / Fotos: Natasja de Vries


Você pode ver a edição online aqui.

Tradução: Brenda Dassa – Equipe PABR

Revisão: Marina Vinhas – Equipe PABR

AURORA: seus primeiros anos de vida Postado por: Marina Vinhas às 18:29

Neste pequeno artigo, Aurora e seus pais falam um pouco sobre o lugar em que viviam entes de se mudar para Os, as inspirações da Aurora e mais. Confira:


A artista e cantora Aurora (20), que hipnotizou seu público norueguês e também internacional, passou seus primeiros anos de vida em Høle.

Aurora Aksnes, de nome artístico Aurora, nasceu no Hospital Universitário de Stavanger em 1996. Depois de seu nascimento ela foi para casa se juntar ao resto de sua família em Høle.

Quem imaginaria naquele tempo que aquele bebezinho alguns anos depois estaria em palcos cada vez maiores recebendo aplausos da plateia e da mídia pela sua música e performance como um raro talento musical?

Poucas pessoas sabem que sua família viveu em Høle por 15 anos e que Aurora viveu ali pelos primeiros três anos de sua vida. Foi lá que a Aurora fez sua primeira pequena cantiga.

Cheia de imaginação


Aurora amaria o mar, velejar, passar o tempo em ilhotas e rochas onde ela iria coletar pequenos tesouros do litoral. Ela tinha a floresta bem atrás de sua casa, e ela basicamente vivia nela. Aurora amava se vestir com roupas de um baú velho e chapéus do sótão. Ela tinha uma imaginação muito vívida, gostava de fazer teatrinhos, fazer um palco caseiro com cortinas vermelhas de veludo e fantoches caseiros.

Aurora consegue lembrar algumas coisas em seu tempo no município de Sandnes.

O que você lembra de Høle?

Eu consigo lembrar as paredes azuis na cozinha, um aniversário com bolo de creme com morangos. Um balanço e um jardim com doces nos ramos das árvores! Tirando isso eu não consigo lembrar muito, Aurora diz ao Sandnesposten.

Magia de Høle


Você acha que seu tempo lá te influenciou de certo modo na sua música? Os arredores ou alguma coisa?

Eu vivi lá por apenas três anos, mas eu acho que você absorve muito dos seus arredores quando criança. Eu acredito que eu trouxe um pouco dessa mágica junto a minha jornada pelo mundo.

Já visitou Høle depois que se mudou?

Sim! Nós estivemos lá algumas vezes. Demos uma olhada na nossa velha casa. Visitamos velhos amigos e vizinhos. Tem sido muito legal toda vez.

O que mais te inspira para sua música?

Natureza. Pessoas, o bom e o mau em nós. Como nós reagimos e lidamos com coisas. Isso eu acho muito inspirador. Além disso eu amo tranquilidade. Silêncio me inspira mais do que qualquer coisa.

Apaixonados por Høle


Os pais de Aurora, May Britt e Jan Øystein Aksnes, se mudaram para Høle com suas crianças depois de seus estudos em Stavanger. Eles se apaixonaram por Høle e ainda tem amigos íntimos lá.

Depois de nossos estudos em Stavanger nós queríamos viver no interior, algum lugar seguro para nossas crianças crescerem. Então nós achamos a delicada Høle, e instantaneamente nos apaixonamos com o fiorde, a floresta e as montanhas em volta, o pequeno caminho para a creche e a escola que não tinha nenhum trânsito, mãe e pai Aksnes dizem.

Eles ficaram em Høle até que Aurora tivesse três anos. Então se moveram ainda mais para o norte, para Os.

A Aurora costumava cantar bastante, desde que tinha dois ou três anos. Suas favoritas eram músicas longas com vários versos, os pais contam ao Sandnesposten.

Bons vizinhos


A vila de Høle nos lembrou de Hardanger de onde viemos. A memória mais forte é a de nossos vizinhos que nos receberam calorosamente. Os vizinhos em Høle ainda são os melhores vizinhos. Além disso nós lembramos de Høle por todas as pessoas boas que conhecemos, especialmente em conexão com nosso tempo no coral e a banda.

Voltar para Høle costumava ser uma experiência bem melancólica; nós deixamos tantas coisas boas. Ficou melhor depois de alguns anos.

Vocês acham que o tempo em Høle influenciou a música que a Aurora faz?

É difícil dizer, mas não há dúvidas que os primeiros anos são os mais importantes na vida de uma pessoa, eles dizem.

Agora sua filha é um dos principais nomes em festivais na Noruega, esgotando shows, recebendo o Grammy de melhor novo artista em 2015. Ela também se apresentou no Talk Show do Jimmy Fallon nos EUA.

No começo deste ano ela foi listada como uma dos 10 artistas para ouvir pela revista musical Rolling Stone. Ela também teve uma tour esgotada nos EUA. Em um futuro próximo a Aurora vai fazer alguns shows na Europa. Não é improvável que os arredores de Høle tenham influenciado sua música quando ela diz que a natureza e o silêncio são muito importantes por ela.

Artigo original em norueguês aqui, traduzido em inglês aqui.

Traduzido por: Marina Vinhas – Equipe PABR

Guest DJ: AURORA e seu amor por heavy metal e Leonard Cohen Postado por: Marina Vinhas às 14:43

Entrevista para o Guest DJ da NPR Music. Nessa entrevista AURORA fala sobre músicas suas músicas, as músicas que a inspiram e muito mais. Você pode ouvir a entrevista (em inglês), ou ler o resumo logo abaixo. Confira:


Eu vi a AURORA pela primeira vez num club pequeno em Nova York três anos atrás. Ela tinha apenas 17 anos de idade, mas sua performance foi hipnotizante. Sua frágil, loira figura espelhava sua encantadora voz e palavras. A jovem cantora da Noruega lançou um dramático e lindo álbum mais cedo este ano chamado All My Demons Greeting Me as a Friend.

Nessa edição de All Songs Considered, AURORA – agora com 20 anos – finge de DJ, escolhendo músicas que informam sobre sua vida e música. Algumas espelham as emoções de sua própria música, como Leronard Cohen, Enya e a mecânica, orgânica música de Wintergatan. Ela também nos surpreendeu mostrando seu amor por música metal, incluindo Mastodon.

Nós tivemos uma conversa emocional. Para a AURORA é tudo sobre tocar corações e expressar seus sentimentos pela música. Logo abaixo estão algumas músicas que ela escolheu e algumas falas editadas da entrevista, apesar de que seria melhor ouvir o programa inteiro para que você se apaixone pela sua música e pela sua paixão se apresentar e se conectar com os fãs.

MASTODON: The Hunter – The Hunter


Eu amo a banda, e eu já vi eles ao vivo três vezes. Eu era um pouco nova na primeira vez que os vi. Tinha não mais que 13 anos. Quando eu ouvi, especialmente essa música, eu gostei muito – os sons no começo, eles soam como se estivessem doentes. Eles soam como tivessem pegado uma gripe, no qual eu gosto. Eu realmente gosto dessa banda, eles são muito melódicos, parece, mais que a maioria das bandas de heavy metal.

LEONARD COHEN: “At The Partisan” – Songs From a Room


Sua voz veio muito cedo pra minha vida. Eu acho que eu estava na barriga da minha mãe na primeira vez que eu ouvi a música dele. Só ouvindo a voz dele – me acalma e me lembra de minha mãe. É a mesma suavidade e delicadeza, e também o calor que sinto que ele tem. A sua música e suas palavras são uma grande contribuição para esse planeta.

AURORA: Puppet


De repente, três semanas depois que “Puppet” foi lançada, eu tive um gerente. E as pessoas estavam pedindo por entrevistas, e eu tive alguns shows. Foi muito estranho. E eu ainda nem queria encontrar meu gerente. Eu não servia para virar uma artista, eu não via o sentido nisso. Então minha mãe me disse que ela sentiu esse sentimento maravilhoso entre tristeza e felicidade, ao mesmo tempo. Ela me disse que se eu podia fazê-la sentir dessa forma, talvez eu pudesse fazer as pessoas se sentirem assim também. E seria egoísta de certa forma esconder música do mundo se ela pudesse ser útil. Isso me fez dar o primeiro passo para a indústria da música.

AURORA: Runaway – All My Demons Greeting Me as a Friend


O maior show que eu tinha feito foi aquecer para um cantor norueguês chamado Odd Martin, que agora está na minha banda. Mas na época, eu aquecia para ele, e então fiz alguns shows em eventos, tipo uma inauguração de uma livraria nova, e eu tocava algumas músicas no piano. Foi um ano muito estranho e excitante. Então nós gravamos algumas músicas – ‘Runaway’, por exemplo. Nós construímos nosso caminho até onde estamos bem devagar.

AURORA: Conqueror – All My Demons Greeting Me as a Friend


Essa música não é realmente sobre algo profundo ou triste, é apenas uma história, uma música divertida que melhora o humor nos meus shows ao vivo. É bem diferente do resto das minhas músicas, eu acho. Sou eu, e é uma lembrança muito divertida do dia que eu a escrevi.

WINTERGATAN: Sommarfågel – Wintergatan


É linda, é apenas melodias. E eles fazem tudo nessa máquina maravilhosa. É apenas mágico. Está vivo. Parece que tem um coração, não é? Respira. E você pode quase ouvir que está vivo, uma máquina feita de algo que está vivo.

TIGRAN HAMASYAN: Holy – Shadow Theater


Eu não sei muito sobre ele, as eu descobri essa música – ou essa obra prima, eu acho que é – algumas semanas atrás. Eu tive um dia livre, acho que estava em casa. Eu ia embora no próxima dia, e eu pedi a um amigo se ele tinha uma música que eu podia chorar. Uma música que eu podia chorar que me deixaria com um humor melhor. E ele me enviou essa música, e ela fez seu trabalho. Ela me faz sentir luz no meu coração.

ENYA: May It Be – Lord of the Rings: Fellowship of the Ring – The Complete Recordings


Essa música me fez sentir como ela estivesse tomando conta de mim, como um anjo ou uma mãe. Foi tão bom sentir que talvez eu poderia fazer o mesmo. Porque essas são as pessoas pelo qual eu escrevo – eu mesma, e as pessoas que se sentem menos do que elas deveriam se sentir.

AURORA: Life on Mars – Girls, Vol. 3 [Série Original HBO]


Nós fechamos o programa com o cover da AURORA de ‘Life on Mars’ de David Bowie – uma música que convém um sentimento familiar com as músicas que ela faz.

Entrevista original aqui.

Traduzido por: Marina Vinhas – Equipe PABR

O que aprendemos com AURORA e seu amor pela natureza? Postado por: EquipePAB às 01:56

Eu escrevo muito sobre o quão importante é respeitar a natureza, porque esse é o único lar que temos, não há outro lugar para irmos se arruinarmos este planeta. – AURORA

Quem conhece  AURORA, não a cantora AURORA e sim Aurora Aksnes, sabe que ela coleciona mariposas mortas em sua casa em Londres, ela não mata, ela não gosta de quem faz isso, ela apenas pega se encontrar morta, ou cuida e depois devolve a natureza,  mas ela não coleciona apenas mariposas e sim amor, paz, tranquilidade e muito respeito com a natureza e suas belezas. Assim como ela tenta passar em suas músicas e consegue.

Nos últimos anos o número de catástrofes naturais vem aumentando, não precisa ser um especialista para perceber isso, basta assistir aos jornais. Em quase todas as entrevistas ou vídeos, AURORA fala sobre os seres humanos conservarem a natureza, pois é nosso único lar. O planeta está pedindo socorro!

Você acha que está fazendo sua parte?, muitas pessoas em seu dia a dia não tem “tempo” ou até mesmo “iniciativa” para ajudar, mas não precisar ser muita coisa, com um pequeno gesto você já estará contribuindo com a preservação da natureza e de nosso planeta.

Quem ouviu o “All My Demons Greeting Me As A Friend“, pôde notar que ela venera os guerreiros, as conquistas e as vitórias, quando questionada sobre o motivo de chamar seus fãs de Warriors (guerreiros) ela responde:

“Eu quero que as pessoas sejam capazes de se chamarem de guerreiros”.


Quando se começa a ver a vida pelo positivo, tudo à sua volta se transforma, principalmente suas atitudes, porque quando somos otimistas, temos consciência que é possível fazer qualquer coisa, não se importando com o tamanho e a quantidade de obstáculos você terá de enfrentar.

Mostre que você é capaz de fazer a diferença, nunca pense que há todo um planeta, toda uma sociedade para mudar e educar, comece a mudança por você. Pense, tenha atitude, sabemos que podemos passar por todos eles e alcançar nosso objetivo, pois todos nós merecemos nada menos do que uma vida plena e com um lar que merecemos, um planeta limpo, vamos mostrar  paz ao próximo e mostrar o quanto é importante ajudar este planeta que tanto sofreu e permanece sofrendo, os Warriors de AURORA estarão com você.

Portal Aurora Brasil